Publicaremos periodicamente "trechos" do arquivo de Chiara Lubich para
  oferecer, também hoje, uma possibilidade de contato com esta mulher
  extraordinária..

Imprimir

Que Jesus viva entre nós

Tóquio, 17 de dezembro de 1981

Caríssimos,

Dentro de poucos dias chegará o Natal. E antes que nos comuniquemos novamente, se concluirá o primeiro ano do nosso comum e decidido empenho pela santificação.
Como vocês sabem, o Natal nos recorda um ponto essencial da nossa espiritualidade e uma norma fundamental do nosso modo característico de viver.

Imprimir

O essencial de hoje

Roma, 1970

Quando o papa Paulo VI comentou o Credo, fez duas afirmações que repercutiram de modo especial em nosso coração e fizeram ressoar com nova vibração verdades antigas. Falando de Deus, afirmou: “Ele é Aquele que é, […] e Ele é Amor”1.
E, dentre as características de Cristo, lembrou que “Ele nos deu o seu Mandamento Novo : amarmo-nos uns aos outros como Ele nos amou”2.
Embora essas verdades sempre tenham existido, antes do Concílio Vaticano II era claro para o povo principalmente que Deus é Aquele que é, e que Jesus nos salvou.

Imprimir

Chiara responde às crianças (gen 4) sobre a sua vocação

Castel Gandolfo, 28 de abril de 1992

...
(pergunta em espanhol)
Tradução: Ela disse:
“Pode nos contar o que sentiu no seu coração quando você foi comprar o leite?”

Oi, Chiara, sou Daniele e venho de Turim.
"O que Jesus lhe disse naquele dia em que você foi comprar o leite para a sua mãe?"
Esta pergunta é de Pedro do Brasil.

Chiara:
Então me perguntam o que aconteceu quando eu fui comprar o leite.
A história foi assim. Estávamos em casa: eu, duas irmãzinhas e a minha mãe. Era inverno e fazia muito frio

Imprimir

Quem tiver duas túnicas, dê uma ao que não tem ...

Roma, (Città Nuova) 25 de novembro de 1988

Comentário sobre a Palavra de Vida:

Quem tiver duas túnicas, dê uma ao que não tem; e quem tem o que comer, faça o mesmo (Lc 3,11).

Estas palavras são extraídas da pregação de João Batista. O evangelista Lucas refere que entre as multidões, que acorriam às margens do rio Jordão para serem batizadas, havia também publicanos (cobradores de impostos a serviço da autoridade romana), os quais eram considerados pecadores públicos justamente por exercerem esta profissão; e havia soldados que, devido à sua origem pagã, eram considerados “afastados de Deus”.

Imprimir

Entrevista da Rádio Vaticana a Chiara Lubich: "O seu relacionamento com o Patriarca Atenágoras"

Rocca di Papa, 18 de julho de 1967

Apresentador: "... Em poucos dias, Sua Santidade, o grande Papa romano, fará uma peregrinação a esta antiga cidade.
Nós aproveitamos esta grande oportunidade para nos aproximarmos das diversas Igrejas, com o objetivo de viver a unidade". Assim se expressou, dias atrás, o Patriarca ecumênico de Constantinopla, Atenágoras, em relação à iminente visita de Paulo VI a Istambul e a Éfeso.
É a declaração serena e afetuosa de uma grande alma, de um homem do nosso tempo.

Imprimir

Como ser nada?

Rimini, 23 de setembro de 1997

(…)
"Este ano experimentei os frutos da Eucaristia recebida com maior consciência e a grandeza deste dom que Jesus nos oferece. Como ser aquele nada que Jesus pode preencher, transformando-me nele?"

Chiara: Ela sente uma grande atração pela Eucaristia. Percebe, porém, que Jesus Eucaristia poderia realizar muito mais, transformá-la, se ela fosse nada. E pergunta: "Como ser nada?"
É muito fácil, pois somos nada! O problema é que achamos que somos alguma coisa.