Archivio scritti

Biblioteca
ESCRITOS

Nessa parte estão reunidos todos os textos publicados no site, com imagens autografadas, onde esses existem.

Clicando em cima das imagens pederão ser aumentadas.


Nós descobrimos o Livro da Vida

Revendo a vida que caracteriza a nascente comunidade trentina dos Focolares, podemos observar o radicalismo sempre atual da Caridade evangélica. O trecho foi tirado da história do Movimento dos  Focolares escrita no final do ano de 1949, intitulada Um pouco de história do “Movimento da Unidade”,  publicado recentemente no livro de Lucia Abignente, “Qui c’è il dito di Dio”. Carlo de Ferrari e Chiara Lubich: il discernimento di un carisma, Città Nuova, Roma 2017.

(…)

Nós descobrimos o Livro da Vida, cujas Palavras nos purificavam e nos direcionavam para um relacionamento com o nosso próximo diferente daquele vivido até então.
Os sentimentos de Jesus substituíam os nossos, bem como o seu modo de pensar e de amar.
O amor se estendeu a todos: não havia limite para esse amor.
Não amávamos mais por simpatia ou por interesse, mas porque Ele ordenava. 

Leia mais...

Aquela palavra

Rocca di Papa, 20 de novembro de 1979 

Chiara sempre viu a segunda geração do Movimento dos Focolares como a viva manifestação do seu próprio ideal: “A geração de vocês é chamada, como os tempos hoje exigem, à autenticidade, ao ideal mais genuíno”, dizia aos gen.
Neste editorial do noticiário Gen de 1979, Chiara reafirma este conceito e, apresentando-lhes o amor à cruz de Jesus, desafia-os a enfrentarem as consequências disso!

Queridos gen, 

Talvez vocês desejem conhecer uma palavra que seja aquela; uma palavra que expresse tudo, que sintetize a verdade, que lhes dê a receita da verdadeira vida.
É justamente o que estou meditando nestes dias. 
Tenho certeza de que não existe uma estrada mais segura, para chegar à vida perfeita, senão aquela da dor abraçada por amor.
E todos os santos, de todos os séculos, pensavam da mesma maneira.
 Todos eles quiseram seguir Jesus, e Ele falou claro: «Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me» (Mc 8, 34). 

Leia mais...

Para que o Ressuscitado resplandeça entre nós

Brig, 11 de agosto de 1989

Na festividade de santa Clara de Assis, Chiara Lubich sempre propunha um pensamento sobre um determinado aspecto da vida ou da espiritualidade desta grande santa de quem havia escolhido para si o nome. Chiara evidencia a “fidelidade de Santa Clara ao  carisma recebido de Deus”, e nos convida a imitá-la, vivendo com fidelidade o carisma da unidade. 

(…) No ano passado nos despedimos, pensando na festa de hoje, ou seja, em Santa Clara, na sua espiritualidade. E, depois de termos revisto os anos anteriores e todos os pensamentos que Santa Clara e a sua espiritualidade nos sugeriram, dissemos: "Bem, agora partimos e queremos ser fiéis ao nosso carisma como ela foi fiel ao seu. O seu era o carisma da pobreza, o nosso é o da unidade".
Eu gostaria que voltássemos para casa com esta fidelidade. Estes focolarinos fizeram-se um. Mais não é possível!...

Leia mais...

Bela, a Mãe

Nas comemorações marianas destes dias, um convite a «Viver Maria».

É tão bela a Mãe, no recolhimento perene em que o Evangelho no-la mostra: “Conservava a lembrança de todos estes fatos em seu coração ” (Lucas 2,51).
Aquele silêncio pleno exerce um fascínio sobre a alma que ama.
Como poderia eu viver Maria no seu místico silêncio, quando a nossa vocação é, por vezes, falar para evangelizar, sempre aos quatro ventos, em todos os lugares, ricos e pobres, dos subterrâneos às estradas, às escolas, em todo canto?
Maria também falou. E deu Jesus. Ninguém jamais no mundo foi apóstolo maior. Ninguém jamais teve palavra como Maria, que deu à luz o Verbo encarnado.

Leia mais...

A resposta ao terrorismo

Viena, 3 de novembro de 2001

Entrevista de Walter Achleitner do jornal Kirchenzeitung Kooperation

Chiara Lubich responde ao jornalista sobre os eventos nos EUA em 11 de Setembro de 2001, dos quais emerge uma resposta do compromisso social e político do Movimento dos Focolares, de extrema relevância hoje.

1) Prezada Sra. Lubich, o que significa hoje, após os acontecimentos de 11 de Setembro nos EUA, a frase "experimentar a ternura e a fidelidade de Deus e ser anunciadores autênticos do Evangelho", uma frase que o Papa usou para falar sobre o seu trabalho?

Eu não sei o que o Papa desejava expressar com estas palavras neste momento. Eu sei que é possível experimentar a ternura e a fidelidade de Deus se formos anunciadores autênticcos do Evangelho. E hoje, após o dia 11 de setembro, a coisa mais urgente seria justamente este anúncio autêntico, não só quando se proclama, mas quando se vive o Evangelho. Esse anúncio, em extrema síntese,  exige o amor mútuo entre todos os homens, premissa para atuar a fraternidade universal, o plano de Deus para o mundo, inclusive para o mundo de hoje. Jesus disse e repete também hoje: "Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros" (Jo 13,35).

Leia mais...

Foi assim que te encontrei

Roma, 1957

Neste escrito de 1957, Chiara Lubich nos concede o dom de uma “pérola preciosa”. Ela nos revela o porquê de uma vida, concentrada numa palavra só com infinitas tonalidades: “amor”.

Senhor, quando se fala em amor, talvez os homens pensem numa coisa sempre igual.
No entanto, quão vário é o amor!
Lembro-me de que, ao te encontrar, não tinha a preocupação de te amar. Talvez porque eras Tu que me havias encontrado, e Tu mesmo cuidavas de cumular o meu coração. Lembro-me de que, às vezes, eu era uma chama só, embora o fardo de minha humanidade me incomodasse, e eu tivesse a impressão de arrastar um peso. Então, já desde então, por graça tua, compreendia um pouco quem eu era e quem eras Tu, e eu via aquela chama como um presente teu.

Leia mais...

Chiara Lubich aos desportistas

Viena, 10-12 de setembro de 2004

Por ocasião da Summer School 2017 de Sportmeet que se fará em Barcelona (Espanha) de 13 a 16 de julho, sobre o tema “Esporte e inclusão social”, propomos a Mensagem de Chiara Lubich para o Congresso de Sportmeet em Viena de 10 a 12 de setembro de 2004. Sportmeet nasceu em 2002 como expressão do diálogo do Movimento dos Focolares com o mundo do esporte.

Caríssimos desportistas, operadores e profissionais do esporte,

Vocês estão reunidos, em Viena, para o segundo Congresso Internacional de Sportmeet, intitulado «Educar-se e educar com o esporte». Sportmeet é uma realidade ainda muito nova, mas é claramente guiada pelos princípios do Ideal da unidade que a inspirou. 
O esporte está bastante presente na sociedade de hoje e atrai um número crescente de pessoas. Contudo, não podemos negar que também traz consigo várias contradições como, por exemplo, a tentação de alcançar a fama custe o que custar ou a excessiva busca por exposição na mídia, visando somente ao dinheiro. Por outro lado, o esporte pode ser importante para a educação, sobretudo das gerações mais jovens. O esporte pode revelar a dimensão essencial do homem como um ser finito, que enfrenta dificuldades e derrotas, e também como um ser chamado ao infinito, capaz de superar os próprios limites. 

Leia mais...

“Vinde a mim todos os que estais cansados... pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” Mt 11, 28-30

Palavra de vida de julho de 1987

Com estas palavras, Chiara Lubich nos diz que é justamente Ele, o Senhor, que se oferece como descanso e companheiro de viagem para a nossa caminhada.

Esta Palavra de Vida é uma das pérolas do Evangelho de são Mateus.
Os cansados, a quem Jesus se dirige, são os pequenos, as pessoas sem instrução, sem poder e sem influência; são os pobres, os doentes, os oprimidos pela injustiça humana, os abatidos pela experiência do pecado; são todos aqueles que se sentem esmagados pelo peso do sofrimento. Ele veio procurá-los para lhes dar o seu ensinamento.
Aqui, porém, Jesus não se limita a apresentar-se como libertador, mas indica também a condição necessária para nos sentirmos livres: aceitar o seu jugo, o jugo da “sua” lei, isto é, acolher o seu ensinamento.

Leia mais...

“Como o Pai me enviou também eu vos envio.” (Jo 20,21)

Palavra de Vida de maio de 2005

Lemos aqui um comentário de Chiara Lubich às fortes, exigentes palavras de Jesus que, retornando ao Pai, nos pede para ser “como” Ele portadores da sua mensagem ao mundo. 

Era a noite de Páscoa. Jesus ressuscitado já tinha aparecido a Maria Madalena. Pedro e João tinham visto o túmulo vazio. E mesmo assim os discípulos continuavam isolados em casa, cheios de medo, até a hora em que o Ressuscitado se apresentou no meio deles, a portas fechadas, porque não existia mais barreira alguma que pudesse separá-los dos seus amigos.

Leia mais...

Recordando Fátima

Rome, 1958

Era o mês de setembro de 1955, quando uma oportunidade verdadeiramente excepcional nos possibilitou conhecer a Irmã Lúcia de Fátima, a menina, já adulta, que viu Nossa Senhora.
Viajamos de avião voando sobre a Itália, a França, a Espanha, que admiramos durante a noite, como uma joia colocada em uma veste escura, a bela Madri, multicor.
Finalmente, tarde da noite, aterrissamos em Lisboa.

Leia mais...

Eis que estarei convosco todos os dias, até o final dos tempos

Roma, 25 de maio de 1982

Comentário sobre a Palavra de Vida:

Eis que estarei convosco todos os dias, até o final dos tempos (Mt 28, 20).

Jesus ressuscitou. Desejando falar com seus discípulos, chama-os a um monte onde dá a eles uma série de diretivas para o futuro, até o fim dos tempos. Ele está cercado pelos onze apóstolos, que se prostraram diante dele, plenamente conscientes de que aquele que está entre eles é o seu Senhor, e também o Senhor do mundo.

Leia mais...

correio

Contact Icon

Muitas pessoas, em muitos lugares, se encontraram com Chiara. Ficaríamos agradecidos a todos aqueles que nos mandarem recordações, documentos inéditos, fotos...
clique e nos envie

quem está online

Temos 333 visitantes e Nenhum membro online

na livraria

libro folonari-2012

login staff

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.